Qual o Luiz Felipe Scolari está chegando no Grêmio?

Na verdade, Luiz Felipe Scolari nunca pensou em ficar afastado do futebol até o ano que vem por causa do fracasso na Copa do Mundo.

Segundo um de seus novos auxiliares, Ivo Wortmann, Felipão vinha conversando com ele para voltar a trabalhar ainda na atual temporada.

As conversas aconteceram antes mesmo do interesse gremista. Independentemente do clube a ser assumido, a ideia era de voltar logo.

“O Felipe está motivadíssimo. E não poderia ser melhor para ele recomeçar no Grêmio”, disse Ivo.

“Eu somente aceitei voltar porque é através dele. Somos amigos. Eu estava meio desiludido com o futebol, mas com o Felipe e o Murtosa, as coisas serão diferentes”, concluiu.

Essa será a terceira vez de Felipão no comando do Grêmio. Antes, ele trabalhou em 1987, com Celso Roth de preparador físico, e 1993, ao lado de Paulo Paixão, quando conquistaram os principais títulos.

A grande questão é a seguinte: qual o Luiz Felipe Scolari que está retornando para o Grêmio, aquele pentacampeão de 2002, ou o comandante do mundial do Brasil 2014 e que sofreu dez gols nas duas últimas partidas?

Opinem.

Evaristo de Macedo é exceção à regra

A menos que haja uma grande reviravolta nas tratativas, o novo técnico gremista não deverá ser da preferência da torcida. Tite e Luiz Felipe não querem trabalhar, no momento.

Tite quer ficar parado até outubro e Felipão só pensa em voltar no ano que vem, após o fracasso da Copa do Mundo.

Koff praticamente descartou Celso Roth por causa das eleições de setembro. O técnico não tem a simpatia da maioria dos gremistas.

O presidente ouviu alguns assessores sobre a possibilidade de um técnico estrangeiro. Tata Martino é o profissional da preferência do diretor executivo, Rui Costa.

Mas pessoas ligadas ao filho do presidente não desejam um treinador de fora. Lembram o fato de nunca um “gringo” ter dado certo no Grêmio.

Aliás, se a gente lembrar bem, notará que jamais um nome do mercado sul-americano deu certo no Grêmio e no futebol brasileiro.

Portanto, Koff está em meio a uma espécie de queda de braço. Uma turma desejando um comandante identificado com a história do clube (gaúcho) e a outra parte querendo uma solução vinda de fora(estrangeiro).

O blogueiro está entre os que concordam com a turma do Fabinho. Não se trata de um questão de sangue, mas estatística.

Dos 10 títulos mais importantes, todos foram conquistados com treinadores gaúchos. A exceção foi a Copa do Brasil de 1997, com Evaristo de Macedo.

Está aí uma das justificativas da nossa opinião quando da contratação de Enderson. Estão lembrados?

Nós dizíamos que havia no mercado gente que viria pelo mesmo salário do que Enderson Moreira e com melhores condições ou experiência.

Opinem.

Enderson pede demissão e salva a pele dos dirigentes gremistas

Será apenas coincidência?

Auxiliar técnico de Tite, Cléber Xavier, estava na Arena durante a partida Grêmio 2 x 3 Coritiba. Será apenas uma coincidência? Ou já estava tudo encaminhado entre Koff e a suposta nova comissão técnica?

Não tenho a menor dúvida de que o pedido de demissão do treinador gremista salvou a pele dos dirigentes de futebol do Grêmio.

Penso que para o melhor do clube teria sido um pedido de demissão conjunto. Os cartolas são tão responsáveis quanto o treinador pelo fracasso da equipe.

Mas o poder é afrodisíaco. Por isso, o silêncio do Chitolina e do diretor executivo. Fábio Koff está sendo exposto como nunca!

“Os resultados não corresponderam ao que o jogo mostrou”, disse o presidente. Que deve estar contando os dias para deixar o cargo.

Pergunta: qual nome você torcedor gremista gostaria de ver no lugar de Enderson Moreira: Tite, Celso Roth, Felipão, Roger ou um outro nome do mercado?

Opinem.