Fábio Koff e Cláudio Winck

Jogador interessa ao futebol europeu

Luís Carlos Winck, tio do lateral colorado, confirma que há interesse de clubes europeus pelo jogador. Futebol italiano é o que está mais insistente, mas um clube alemão pode cobrir a proposta.

A oposição gremista não está acreditando na informação da desistência de Fábio Koff de concorrer a uma reeleição.

Vários conselheiros estão apostando numa mudança de rumo do velho presidente. Especialmente a turma de Homero Bellini.

“Na hora H, o homem muda de ideia e diz que vai concorrer”, disse um dos experientes conselheiros oposicionistas ouvidos pelo blog.

Acontece que a informação inicial era de que Koff iria lançar para sucedê-lo o seu atual vice-presidente Romildo Bolzan Junior.

Sendo que Fábio Koff continuaria como um dos integrantes do Conselho de Administração da chapa situacionista que estaria por ser lançada nos próximos dias.

Ele seria uma espécie de consultor de futebol, além da tarefa de intermediação com a OAS em busca da compra da gestão da Arena.

Sobre o Internacional, a notícia é a seguinte: o tio de Cláudio Winck, o técnico Luís Carlos Winck, confirmou que há interesse de clubes europeus pelo lateral.

O pai do jogador, Sérgio Winck, também, sabe da possibilidade do filho jogar no exterior, mas transfere toda a responsabilidade de um futuro negócio para o agente responsável.

A proposta estaria girando em torno dos 5 milhões de euros. Cláudio marcou seis gols na temporada e tem contrato com o Inter até o final do ano que vem.

Nesta quinta, no Café com Futebol, da rádio Gre-Nal e, mais tarde, no SBT ESPORTE, estaremos esclarecendo o assunto.

Opinem.

A primeira entrevista de Dunga

Ainda não opinei sobre o fato de Dunga ter sido escolhido como o substituto de Felipão na seleção brasileira.

Faltou conteúdo na entrevista. Mesmo relevando o fato de Dunga nunca ter sido um homem simpático e comunicativo.

Dunga utilizou-se de conceitos recorrentes tipo: o da necessidade de aprimorar o relacionamento com a imprensa, de organizar e planejar o futebol, de aproveitar as características dos nossos jogadores, mesclando experiência e juventude…

Em suma, elencou aspectos de vida primários e subjetivos há muito tempo ouvidos por nós e que se distanciam da objetividade nas ações.

Ou alguém ainda tem dúvida de que o futebol arte praticado no passado não existe mais e, por isso, não pode ser comparado com o que é jogado na atualidade?

Outras pérolas ditas pelo treinador: “eu não vou vender um sonho…eu vou mostrar a realidade…o futebol está equilibrado em todo o mundo…

o Brasil tem talentos…o importante é colocar, no momento certo, jogadores jovens lado a lado com os mais experientes”…

Portanto, nada de novo está surgindo em termos de novos jogadores, dirigentes, treinadores e gestores. A turma segue confundindo.

Não enxerga que precisamos de mudanças ESTRUTURAIS dentro e fora de campo. Precisamos alterar a nossa MENTALIDADE.

É tempo de dar um basta nas discussões das consequências. Precisamos encontrar as causas do últimos fracassos.

Sob pena de Tudo permanecer como Dantes no Quartel de Abrantes.

Opinem.

O blog errou. Mas o próprio Dunga considerava o seu nome uma piada!

O próprio Dunga considerava como uma piada a sua volta à seleção brasileira há dez dias.

A notícia foi dada, nesta segunda, pelo site UOL, em matéria assinada pelo repórter Vanderlei Lima.

Hahaha piada…mais fácil treinar Itália, [a] Alemanha, que [o] Brasil”, disse o capitão do tetra ao ser questionado sobre a movimentação nos bastidores da CBF, que já o apontava como substituto de Luiz Felipe Scolari.

E a explicação dada pelo técnico foi igual a que a nossa fonte ligada à CBF tinha sobre o assunto. Por isso, o blog errou quando afirmou que Dunga não teria qualquer chance de substituir Felipão.

A entrevista de Dunga foi breve sobre o principal motivo de sua impossibilidade de retornar à seleção. Creditou à relação conflituosa que teve com a TV Globo em sua primeira passagem como técnico da seleção e a influência que a empresa exerce no dia a dia da seleção como parceira estratégica da CBF.

Pergunta: o que teria acontecido para que o quadro pudesse ser mudado radicalmente em menos de duas semanas? Alguém tem a resposta?

E outra: seria legal que todos vocês, meus comentaristas preferidos, opinassem sobre o novo comandante da seleção canarinho.

Opinem. Nesta terça, tanto na rádio Gre-Nal, assim como no SBT ESPORTE, estaremos lendo as opiniões de todos vocês e debatendo o assunto.