Depois de cinco vitórias seguidas, Inter volta a perder no Brasileirão

POSTADO IMEDIATAMENTE APÓS O FINAL DA PARTIDA DO BEIRA-RIO

O Internacional não conseguiu igualar a façanha de 2006 quando conquistou seis vitórias seguidas sem sofrer gol no campeonato brasileiro de pontos corridos.

A equipe do São Paulo arrancou na frente na partida desta quarta, no Beira-Rio, e não permitiu mais uma reação local.

Paulo Henrique Ganso fez o gol Tricolor, após um erro de Juan, aos 35 minutos da etapa inicial.

As duas equipes estavam correndo muito, diminuindo os espaços e com as marcações levando vantagem na maioria das jogadas.

Até que o zagueiro colorado quis sair jogando, ao invés de dar um chutão. A bola acabou chegando em Kaká.

Que recebeu dentro da área e passou para o lateral Álvaro Pereira. O uruguaio bateu cruzado e o rebote caiu para Ganso, que apenas tocou livre para o fundo do gol.

A arbitragem foi bastante criticada por deixar o jogo correr. Os assistentes também receberam críticas pelo estilo europeu.

No segundo tempo, a partida continuou intensa, além de truncada. Os goleiros foram pouco exigidos, apesar de tudo.

Rafael Moura teve um gol corretamente anulado. O contra-ataque era a arma de Muricy Ramalho. O Inter tinha muita pressa.

Wellington fez falta. Willians, também. Bertotto foi discreto. Aos 17 minutos Jorge Henrique entrou no lugar de Alex.

Aos 18, após falha de Fabrício, que queria uma falta inexistente, o São Paulo fez uma jogada rápida e Kaká chutou na rede pelo lado de fora.

Aos 20 minutos, a torcida colorada começou a vaiar intensamente o centroavante Rafael Moura. A marcação era muito forte.

O time paulista tinha três zagueiros e dois homens de muita disposição: Hudson e Denílson. Aos 25, Valdívia foi chamado.

O garoto entrou no lugar de Ygor. Abelão decidiu ir para o tudo ou nada. O adversário apostava no contra-golpe.

Aos 32, Ganso saiu para o ingresso do gaúcho de Pelotas Michel Bastos. E através dele, Pato foi lançado para perder um gol feito.

No mesmo lance, o árbitro não deu um pênalti cometido por Juan, que evitou com o braço uma bola frontal de Pato.

Aos 35, Bertotto foi sacado para a entrada de Wellington Paulista. E na primeira dele, o centroavante cabeceou no travessão.

Os últimos minutos foram dramáticos. Os donos da casa foram para a pressão final. Mas o São Paulo segurou o placar e conquistou a sua terceira vitória consecutiva.

O Inter permaneceu em segundo lugar com 31 pontos ganhos. O próximo jogo será sábado diante do Atlético Mineiro.

Contra times do G5 no Brasileiro de 2014: Inter 1 x 3 Cruzeiro (Caxias); Corínthians 2 x 1 Inter; Fluminense 1 x 1 Inter; Inter 0 x 1 São Paulo.

Ou seja, 3 derrotas e um empate. 8% de aproveitamento. Agora a turma pode entender melhor por qual razão o blogueiro sempre desconfiou da qualidade do time alvirrubro.

Saiu a primeira e histórica convocação de Dunga

Saiu a primeira e histórica convocação de Dunga. Depois do fiasco da Copa do Mundo no Brasil, a lista não apresentou grandes surpresas.

Goleiros: Jefferson (Botafogo) e Rafael Cabral (Napoli); zagueiros: David Luiz (PSG), Marquinhos (PSG), Gil (Corínthians) e Miranda (Atlético de Madrid); laterais: Maicon (Roma), Filipe Luis (Chelsea), Alex Sandro (Porto) e Danilo (Porto); volantes e meias: Luis Gustavo (Wolfsburg), Elias (Corinthians), Fernandinho (Manchester City), Ramires (Chelsea), Everton Ribeiro (Cruzeiro), Oscar (Chelsea), Willian (Chelsea), Philippe Coutinho (Liverpool); atacantes: Hulk (Zenit), Ricardo Goulart (Cruzeiro), Neymar (Barcelona) e Diego Tardelli (Atlético Mineiro).

Em geral, apenas Rafael, Gil, Alex Sandro, Danilo, Philippe Coutinho e Tardelli, na minha opinião, foram surpresas. O restante da lista está dentro da normalidade.

Júlio César, Victor, Dante, Henrique, Thiago Silva, Daniel Alves, Maxwell, Hernanes, Paulinho, Bernard, Jô e Fred foram deixados de lado.

Desta turma, somente o líder de Luiz Felipe, Thiago Silva, está lesionado. Os demais foram preteridos.

Pela convocação, Dunga quer força, vibração e velocidade em detrimento da técnica apurada. O novo treinador está mantendo o seu estilo, desde os tempos de jogador.

Ele gosta do chamado futebol feio, mas de muita marcação, ocupação de espaços e contra-ataques. A objetividade deverá falar mais alto na seleção.

Isso, se os cartolas não atrapalharem o trabalho da nova comissão técnica. A desordem no calendário continua. Talvez, no ano que vem as coisas melhorem.

Desta vez, Cruzeiro e Corínthians, que lutam pelo título brasileiro e estão, também, na Copa do Brasil, foram os grandes prejudicados.

Cada um perdeu dois jogadores. Eles são peças importantes nas equipes que defendem. E para enfrentar amistosamente Colômbia e Equador. Pode?

Opinem.

Vai ser difícil entrar no Bazar Mimo

Botonistas lamentam morte do senhor Domênico do Bazar Mimo

Botonistas estão de luto. Morre o senhor Domênico do Bazar Mimo

Não podia ser diferente. A semana abriu sem brilho. Há 25 anos comecei a frequentar o Bazar Mimo quase que diariamente. Muitas alegrias e amizades feitas.

A semana começou assim como disse pois perdemos o brilho da vida e do convívio do querido senhor Domenico. Uma pessoa que sempre recebeu a todos com alegria, respeito e simplicidade.

O Bazar Mimo tornou-se uma extensão da casa de cada um de nós. Tenho certeza que esta perda atingiu a todos que, em algum lugar, jogam botão ou futebol de mesa, como é conhecido pelos mais novos.

Eu tenho o orgulho de ter contribuído com o logotipo que identifica o Bazar (aquele mesmo, do gurizinho jogando botão).

Logotipo que desenvolvi a ideia, esbocei o desenho, e minha mãe fez a arte final. Tá lá, estampado na porta da extensão da nossa casa, no letreiro do Bazar.

O Mimo partiu, porém, duvido que alguém possa esquecê-lo. Impossível! Tomara possamos nós “botonistas” apaixonados, manter viva a presença dele.

Que a frequência junto ao Bazar seja a mesma e, a partir de agora, tentemos dar força aos nossos filhos para dar continuidade ao trabalho desenvolvido com tanta dedicação e carinho.

Como pediu a Mima: “não abandonem, não deixem de ir ao Bazar.” Frase que ecoará na minha cabeça para sempre!
Viveremos uma nova era de nossas vidas. Viveremos uma nova era do futebol de mesa.

Que em respeito ao Mimo e ao amor que temos por ele, continuemos a crescer com o jogo de botão. Vai ser difícil entrar no Bazar e não desfrutar da presença dele.

A história não pode ser esquecida e quanto mais a gente escrever, mais difícil será de apagá-la. O Mimo era uma pessoa feliz.

Vai em paz, Mimo. Comigo, ficará a lembrança e o prazer de tê-lo conhecido, de ter convivido grande parte da minha vida. Que Deus o abençoe, Sr. Domenico.

Cassiano Ferreira Costa
leitor do blog e botonista